Na noite de segunda-feira (28) foi realizada mais uma reunião semanal da Câmara de Vereadores de São Lourenço do Sul. A pauta sobre as sobras da casa legislativa em que sugere o repasse a Santa Casa de Misericórdia, deu espaço a uma verdadeira bateção de boca, levando a presidente Carmem Rosane Roveré (PSB) a suspender a sessão ordinária.

Após alguns minutos, a proposição nº 695 do vereador Adrian Peglow (PSDB), foi aprovada por unanimidade (FOTO A BAIXO). Porém, a própria presidência, juntamente com o seu grupo de vereadores aliados, reivindica a suposta autoria do gesto. Tirando a discussão que o Programa mostra nesta terça-feira (29) e, se autorizado pelo executivo municipal, deve destinar pouco mais de R$ 300 mil ao hospital da cidade.

Outro tema foi o Projeto de Lei aprovado em que autoriza a Prefeitura Municipal a abrir Crédito Especial no valor de R$ 325.382,40 para atender despesas da Secretaria de Desenvolvimento Rural, promoção e extensão rural, agricultura, apoio aos produtores rurais e pescadores e apoio a aquisição de mudas e sementes.

Não menos importante e pauta de caloroso debate entre os vereadores, em que praticamente todos se pronunciaram no plenário, foi quanto às diárias praticadas pelos legisladores municipais. Alguns entendem a importância de usufruir do Orçamento Financeiro, outros apontam para poupar despesas em período de crise. O saldo orçamentário devolvido ao final das gestões pelos (a) respectivos (a) presidentes (a) nos últimos anos foi apresentado, confira:

  • Dari Pagel (PP) – 30 de dezembro de 2013: R$ 23.614,09;
  • Carmem Rosane Roveré (PSB) – 30 de dezembro de 2014: R$ 860.282,10;
  • Lourenço Crespo (PTB) – 2015: R$ 1.282.000,00;
  • Lourenço Crespo (PTB), Paulinho Pereira (PSDB) e Nestor Karnopp (PP) – 2016: R$ 80.000,25;
  • Dari Pagel (PP) – 14 de dezembro de 2017: R$ 1.509.948,00.