Em entrevista ao São Lourenço Repórter na manhã desta terça-feira (3), o prefeito Rudinei Härter (PDT) falou da draga, que até então vinha realizando o desassoreamento do Rio São Lourenço. O fato em questão é que o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), retirou os 9 funcionários que desempenhavam a função. Segundo Härter, os funcionários municipais não têm autorização para operar o maquinário, cedido pela União à Prefeitura de Estrela-RS (que não tem mais o interesse na draga), encaminhada a São Lourenço do Sul.

Sendo assim, por ora, o serviço de extrema importância, para evitar as cheias do rio, está paralisado. Contudo, o prefeito relatou que nosso município conta com a licença da draga por mais um ano, porém, sem operadores. Härter também acredita que o corte não tem a ver com teor político.

*O custo operacional mensal passa de R$ 80 mil, com os 9 funcionários.

“Eu quero acreditar que não. Nós temos um trabalho com o PSDB há muito tempo e muitas ações são feitas em conjunto. Eu tenho um bom relacionamento com o governador. Eu não tenho olhado para a questão política, e sim, para o que é necessário para a comunidade”.

Rudinei Härter

Prefeito, São Lourenço do Sul

Na entrevista o prefeito Rudinei citou outros assuntos:

– A Cascalheira e os imbróglios burocráticos do licenciamento ambiental: “Eu quero começar a extração (do cascalho) esse ano”, enfatizou;

– Sobre a Santa Casa, afirmou que irá entrar com uma ação contra o hospital, no qual cobrou explicações quanto a diferenças não aplicadas do convênio que foram destinadas, tanto pelo não cumprimento em quitar o 13º salário dos funcionários, quanto mais de R$ 1 milhão encaminhados a obras da UTI: “Desvio de conduta”, denunciou;

– E falou da assinatura do termo de início das obras para levar água potável na Vila Coqueiro, que será nesta quinta-feira (5).

Escute a entrevista na íntegra:

Entrevista com o prefeito Rudinei Härter

por São Lourenço Repórter | 3/09/2019