Medida pode significar o fim de atendimentos odontológicos nas UBSs, CAPS, estratégias em saúde e até o serviço do SAMU.

Em reunião do Conselho Municipal de Saúde realizado na manhã desta sexta-feira (6), no prédio da Secretaria da Saúde, a administração da Santa Casa de Misericórdia de São Lourenço do Sul propôs uma medida drástica que pode afetar diretamente o atendimento em saúde pública da comunidade lourenciana: romper convênio com a Prefeitura Municipal. Para ficar mais claro, cortar atendimentos odontológicos nas UBSs, CAPS, bem como estratégias em saúde, e até mesmo o serviço do SAMU em São Lourenço.

A secretária Jaqueline Bergmann pediu encaminhamentos produtivos de resoluções.

O encontro reuniu conselheiros, autoridades, os administradores da Santa Casa, como o consultor Edemar Paula da Costa (FOTO CAPA) e o administrador André Hinterholz, a Secretária de Saúde, Jaqueline Bergmann e demais profissionais da área de saúde.  

A ação foi tomada após a explanação da administração municipal na semana passada (27/08) na sede da ACI, apontando dados sobre a prestação de contas do convênio entre Prefeitura Municipal e Santa Casa de Misericórdia, na ordem de R$ 8.473.000,00 – no exercício de 2018, com diferenças sugeridas pelo Tribunal de Contas na ordem de R$ 1 milhão, inclusive com matéria publicada no site da Prefeitura com a manchete “Órgãos fiscalizadores apontam que Santa Casa aplicou recursos de convênio com a Prefeitura indevidamente”.

O imbróglio que envolve pagamento de 13º do salário dos funcionários conveniados (em torno de 180 servidores) e pagamento de Fundo de Garantia, segundo os administradores do hospital, herdados de gestões passadas: “Nada foi desviado. Os recursos do convênio foram aplicados no convênio. Só que não no 2019, nem no 2018. Era origem de 2002. Se não foi recolhido o Fundo de Garantia no passado e agora tem que ser recolhido, vou tirar da onde esses recursos? Existe uma co-responsabilidade do município nesse processo”, enfatizou Paula da Costa. Hinterholz demonstrou a inconformidade com a sensibilidade da administração municipal: “Estamos sendo processados!”.

O São Lourenço Repórter esteve na reunião do Conselho Municipal de Saúde e conversou com o consultor Edemar Paula da Costa, escute:

Entrevista com o consultor Edemar Paula da Costa

por São Lourenço Repórter | 6/09/2019