O Grupo de Estudos em Enfermidades Parasitárias (GEEP) possui um laboratório localizado na Faculdade de Veterinária da UFPel e desenvolve de forma ativa projetos que permanentemente monitoram a contaminação ambiental de Praças Públicas de lazer e praias, nas cidades do Sul do RS, como São Lourenço do Sul. Mensalmente são coletadas fezes ambientais de animais de companhia (cães e gatos) e areia, para avaliar através de técnicas laboratoriais a presença de parasitos com potencial zoonótico.

Na manhã desta quarta-feira (2) estiveram no São Lourenço Repórter para falar sobre o assunto a residente da Faculdade de Veterinária da UFPel, Tatiana Antunes, e as bolsistas Maisa Seiber de León e Taíssa Pelegrim – A ENTREVISTA NA ÍNTEGRA NO CORPO DA MATÉRIA.  

Existem diversas doenças que são transmitidas dos pets para os seres humanos, estas são conhecidas como zoonoses. Dentre elas, destaca-se a importância de Doenças Parasitárias transmitidas via contaminação ambiental, como a Larva MigransCutânea causada pelo parasito Ancylostomaspp.,principal parasito encontrado nas fezes dos animais analisadas  e a Larva MigransVisceral, causada peloagenteToxocara spp.

A Larva MigransCutânea é conhecida popularmente por “bicho-geográfico” causando uma dermatite parasitária em humanos, manifestando-se com muita coceira e dor local, podendo curar sem tratamento. No caso da Larva MigransVisceral, a doença pode se tornar mais grave, visto que a larva quando ingerida pode migrar para órgão como fígado, sistema nervoso central e olhos, tornando-se crônica e lesionando estes órgãos.

Foram coletadas até o momento em Praça Pública de São Lourenço do Sul 48 amostras de fezes, sendo que 27% foram positivas para Ancylostoma spp.,14,5% Dipylidiumcaninum, 8,3 % Giardia spp., 4% Trichuris sp. e 2% Spirometra sp.

Devido à importância destas doenças, o Grupo de Estudos ressalta para a importância do Tutor que ao sair para passear com os cães nas praças, sempre levar sacos plásticos e fazer a coleta das fezes do animal, além de levar periodicamente os pets ao veterinário, diagnosticando, prevenindo e, por vezes, tratando os parasitos, reduzindo a chance de contaminar ambientes, outros animais e os humanos, assim como medidas protetivas com cães errantes e comunitários.

Escute a entrevista na íntegra:

Entrevista com o Grupo de Estudos da Faculdade de Veterinária da UFPel

por São Lourenço Repórter | 2/10/2019