Na entrevista logo abaixo você confere a explanação do advogado Dr. Maurício Raupp Martins. Na pauta as duas mortes confirmadas e uma terceira que está sob investigação, de pessoas que ingeriram a cerveja Belorizontina, de Belo Horizonte.  

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento informou que inspeções feitas dentro da cervejaria Backer, que produz a cerveja, apontaram que a água usada na produção, estava contaminada com a substância dietilenoglicol, proibida em alimentos. A substância foi encontrada no sangue de pacientes que apresentaram sintomas da síndrome nefroneural.

“Quando alguém coloca um produto no mercado, é responsável. A cervejaria vai responder por perdas e danos”, argumentou o advogado.

ESCUTE A ENTREVISTA REALIZADA NA MANHÃ DE HOJE (16):

Entrevista com o advogado Dr. Maurício Raupp Martins

por São Lourenço Repórter | 16/01/2020