Sim, foi desta forma que amanheceu São Lourenço do Sul, salve  exceções no meio rural como Picada Feliz, Picada das Antas e Campos Quevedos, com registros de precipitações – nada muito acentuados. No Boqueirão, Boa Vista e Picada Sabão, nem uma mínima gota d’água. Na cidade o caos foi geral após uma madrugada e início de sexta-feira (31) chuvosa, alagando ruas e até entupindo boeiros em algumas localidades, como na Rua Gustavo Wienke, entre Duque de Caxias e Princesa Isabel (Bairro Navegantes) – os acumulados apontam para 100 mm num pequeno espaço de tempo. Alunos tiveram que acessar o I.E.E. Dr. Walter Thofehrn com água pela canela (FOTO CAPA). Soma-se a outros registros como no Bairro Sete de Setembro e na esquina do Super Jepsen (rótula). No Bairro Avenida, além de ruas, casas também tiveram a companhia do alagamento.

Ou seja, a Colônia que está sedenta por chuva nas lavouras, a água não veio e as lavouras agonizam – a paisagem amarela de campos “torrados” pelo sol toma conta. Lembrando que no dia 13 de janeiro, o prefeito Rudinei Härter assinou decreto de emergência devido à estiagem.

Precipitações em números (participação dos ouvintes do São Lourenço Repórter):

  • Cidade: 100 mm;
  • Campos Quevedos: 30 mm;
  • Picada Feliz: 15 mm;
  • Picada das Antas: 18 mm;
  • Santa Isabel: 0 mm;
  • Picada Sabão: 0 mm;
  • Boqueirão: 0 mm;
  • Boa Vista: 0 mm;
  • Cantagalo: 0 mm.