Após a substituição de alguns médicos aqui em São Lourenço do Sul e até o momento não terem acesso ao contrato do convênio IBSaúde/Prefeitura Municipal, o Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers) através do diretor Filipi Becker se manifestou no Programa cobrando transparência da municipalidade e até disse que existe a possibilidade de uma representatividade jurídica, caso não tenham respostas as solicitações da última semana, quando foram recebidos no Gabinete do Prefeito Rudinei Härter.

Becker afirma que o Simers fora procurado por alguns médicos, até então da rede pública de São Lourenço do Sul, profissionais com vários anos de carreira, porém, desvinculados ao novo convênio, agora segundo o diretor, vagas ocupadas por médicos recém formados. Por fim, contextualizou o atual contrato como “convênio nebuloso” e, voltou a afirmar que a categoria fica desassistida de direitos trabalhistas, auxílios, 13º salário e férias, por ser um contrato “pessoa jurídica”.

ESCUTE A ENTREVISTA:

Entrevista com o diretor do Simers, Filipi Becker

por São Lourenço Repórter | 03/02/2020