No registro, o jornalista Cau Holz direto da Rádio São Lourenço | De casa, o âncora há 31 anos, radialista Ruy Fernando (grupo de risco), apresentando o programa de casa (Home Office).

Mais uma vez nos deparamos com uma situação atípica, que requer o nosso bom senso para a tomada de decisões que impactam não somente a você, mas a saúde e a vida do próximo. O São Lourenço Repórter traz uma mensagem de reflexão para você: É nesse cenário de pandemia mundial que aprendemos a deixar o egoísmo e o individualismo de lado para exercitarmos a empatia e a solidariedade. Sem pânico ou desespero, neste momento, medidas simples aliadas ao autocuidado podem fazer a diferença.

Há pouco mais de três meses acompanhamos a situação do COVID-19 pelo mundo. Agora, diante das circunstâncias em nosso próprio país, é hora de colocar em prática aquilo que tem sido recomendado pelas autoridades para a segurança da coletividade. Por isso, não vamos negligenciar nossa responsabilidade.

Na Rádio São Lourenço – que vem operando de portas fechadas ao público, o jornalista Cau Holz, operador de áudio João Guilherme Buttembender e o operador/auxiliar de escritório Marcelo Boemeke (todos fora do grupo de risco, conforme a OMS).

A falta de interpretação, por vezes, acaba por gerar pânico nas pessoas. Sim, todos nós precisamos trabalhar, mas se possível, fique em casa e evite aglomerações. O São Lourenço Repórter é solidário a todos os profissionais que não podem parar: profissionais de saúde, garis, caminhoneiros, farmacêuticos, lixeiros, trabalhadores industriais, funcionários de supermercado, veterinários, produtores rurais, padeiros, enfim, a todos que estão tocando ‘aos trancos e barrancos’ o país.

Asmáticos, pessoas com doenças do coração, fumantes, diabéticos. Além de idosos (acima dos 60 anos), esses são alguns dos grupos de risco que estão mais suscetíveis a contrair a COVID-19, e DEVEM PERMANECER EM CASA.

E, claro, nunca é demais lembrar as regrinhas básicas de higiene, autocuidado e etiqueta respiratória. Lave as mãos, evite tocar o rosto, olhos e boca e projeta o nariz ao tossir ou espirrar.

Ao perceber sintomas leves da doença (tosse, febre, desconforto respiratório), busque repousar e se hidratar por dois dias. Ao persistir, procure a unidade de saúde mais perto de casa, ou o Disque Vigilância 150 do Centro Estadual de Vigilância em Saúde.

Viu atividades que descumprem o disposto no Decreto 5.313? Funcionamento irregular de estabelecimentos, entre outros podem ser denunciados no número (53) 9 8402-8044.

São Lourenço Repórter – RÁDIO SÃO LOURENÇO 1190 AM

De segunda-feira a sexta-feira

Das 7h30min às 11h