Registro da propriedade de Mateus Lilge (Faxinal): o gado sem água para beber.

Uma ligação de um ouvinte de Pinheirinhos – 7º Distrito de São Lourenço do Sul, L.C., identidade já repassada a Defesa Civil do Município, nos revelou o seu cotidiano devido à estiagem que assola a região desde dezembro de 2019: falta de água para beber e fome. A renda do produtor rural está calamitosa, sem chuva as lavouras não progridem, os açudes não oferecem água para os animais e até as cacimbas em algumas localidades secaram. Soma-se a pandemia do coronavírus, o dinheiro acabou.

L.C. interagiu no São Lourenço Repórter desta sexta-feira (27) e indagou se a Administração Municipal teria como lhe fornecer água potável e cesta básica.

Nossa reportagem de imediato entrou em contato com o chefe da Defesa Civil, José Valdoir Ribeiro, o qual relatou que não existe projeto social para distribuir alimentos ou coisas do gênero. O que a D.C. faz é prestar “socorro” através do fornecimento de água potável. Ainda, conta que os governos estaduais e federais não acenaram com nenhum tipo de auxílio para os agricultores, mesmo após a homologação do Decreto de Situação de Emergência em São Lourenço.  

A água potável está sendo distribuída via caminhão viniliq pipa. Aos problemas oriundos de açudes, também está sendo providenciado suporte via Secretaria de Desenvolvimento Rural. A auto-ajuda pode ser acionada pelo número (53) 9 9128 0371, ou (53) 3251 2983, da Defesa Civil.