Quem andou pela Orla da Lagoa, a nossa encantadora praia, durante o final de semana ou pra quem precisou circular pelo Centro de São Lourenço do Sul nesta manhã de segunda-feira (6), por certo, ficou em dúvida se a guerra contra o coronavírus ainda se mantinha. O número de pessoas na areia da praia ou no calçadão, circulando e entrando em filas de lotérica ou de bancos, se expondo ou sendo condutor do vírus, foi simplesmente inacreditável. A reportagem fotográfica do São Lourenço Repórter denuncia nossa referência. Mas acreditem:

ESSA GUERRA PODE, DIANTE DO ADVERSÁRIO INVISÍVEL, SER A DERROTA POR INCOMPETÊNCIA DO NOSSO COMPORTAMENTO. É O EFEITO DOMINÓ EM QUE SE UMA SÓ PEÇA CAIR, DERRUBA TODAS AS DEMAIS!

Infelizmente, o vírus já chegou por aqui, por sorte, foi administrado com responsabilidade e competência por uma jovem que atua na área da saúde e, está se recuperando bem. Também neste artigo, ilustramos o depoimento do taxista Pablo Machin, que há mais 17 dias conduziu uma pessoa aqui na cidade, que veio da Alemanha para “fugir” do coronavírus. Então, ele entrou em contato com as autoridades municipais de saúde e, ficou em isolamento domiciliar desde então. Da mesma forma, o cidadão também foi orientado. Porém hoje (6), Pablo, após cumprir os 14 dias determinados e, que não foi diagnosticado com o Covid-19, saiu para comprar remédios e pagar contas. Ele também se surpreendeu com a quantidade de pessoas nas ruas.

Lembramos contudo, a ordem do isolamento social determinada pelo Decreto Municipal continua valendo. Saibam que se alguém for acometido com gravidade, não existe ainda um tratamento adequado para a doença, a não ser quatro respiradores (leitos de UTIs), para receber pacientes graves.

FIQUE EM CASA, TE CUIDA! COLABORE PARA QUE POSSAMOS NOS ABRAÇAR, MAS DAQUI ALGUNS DIAS, COM VIDA E A VITÓRIA.

Confira a reportagem fotográfica:

Aglomeração evidente do “calçadão” Central.

Agencias Bancárias também enfrentam filas.

Todas vagas de estacionamento no Centro, ocupadas.

Seguem as filas nas lotéricas.

Todas vagas ocupadas na Av. Mal. Floriano Peixoto.

Filas nos bancos, estacionamentos lotados.

Filas e curiosos no passeio público.