O governo do Estado repassou cerca de R$ 29 milhões para 19 hospitais estaduais e municipais de diferentes regiões. O objetivo do Executivo estadual é manter a regularidade do pagamento a essas instituições, que prestam serviços pelo SUS. Porém, tanto Santa Casa de Misericórdia, como Centro de Saúde São João da Reserva, ficaram fora da lista. O recurso foi anunciado na última sexta-feira (8) e é proveniente do Tesouro do Estado.

Para o prefeito Rudinei Härter (PDT) em entrevista ao São Lourenço Repórter na manhã de hoje (12), a explicação é de que foi feita opção por aqueles hospitais que tem UTI, além de lembrar o imbróglio judicial envolvendo a Santa Casa e a gestão municipal que ele sucedeu. “Nós perdemos o recurso por não ter sido aplicado corretamente. Vocês sabem que existe um processo correndo”, lembrando dos Recursos do Fundo Estadual de Saúde, no valor de R$ 1,1 milhão, assegurados pelo Governo do Estado, na gestão de Tarso Genro (PT), garantindo aqui, uma Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) de referência regional, com capacidade de realizar procedimentos cirúrgicos eletivos na Casa de Saúde (A previsão era do início das obras em 24 de abril de 2015).

De “concreto”, não tivemos nada. Na Santa Casa apenas uma área demarcada – parte superior do Pronto Socorro.

O prefeito ainda abordou que os laboratórios privados, a partir de agora, também farão parte da contabilidade nos dados municipais em relação à Covid-19, isto em São Lourenço do Sul. Além de estar sendo montada uma estratégia de pesquisa junto aos médicos do município para capacitar testes em toda população e, não mais apenas nos profissionais da saúde e pacientes graves acometidos pela doença.

ESCUTE A ENTREVISTA:

Entrevista com o prefeito Rudinei Härter (PDT)

por São Lourenço Repórter | 12/05/2020