O gerente da CORSAN em São Lourenço do Sul, Marcelo Ferreira conversou com nossa reportagem nesta terça-feira (19), pra falar sobre o nível do Arroio São Lourenço. O quadro tem sido diferente após a transposição do açude da Família Crespo, desde o dia 23 de abril – uma obra com apoio da Prefeitura Municipal e, que possibilitou um aumento significativo de água concentrada na barragem que abastece todo o município.

Otimista, Ferreira chegou a dizer que o “racionamento está descartado”, haja vista que a barragem chegou a estar 1,70 metros abaixou do nível normal – com a transposição, está apenas 0,7 metros da ‘normalidade’.     

Contudo, o gerente da Corsan ressaltou a cooperação da comunidade e, que ainda está proibido o desperdício de água potável, inclusive, com Decreto Municipal vigente. A orientação é economizar água nas tarefas domésticas.

Por fim, Ferreira contou que a CORSAN segue destinando água para o consumo humano para a Defesa Civil, responsável em distribuir ao interior do município para famílias que encontram-se em vulnerabilidade, ou seja, a seca, é uma realidade na nossa colônia e, que ha muitos anos não se tinha conhecimento de um caos generalizado desta magnitude pela falta de chuva.

ESCUTE A ENTREVISTA:

Entrevista com o gerente da CORSAN, Marcelo Ferreira

por São Lourenço Repórter | 19/05/2020