Em entrevista exclusiva ao São Lourenço Repórter na manhã desta quinta-feira (21), o Chefe do escritório da Emater/RS-Ascar de São Lourenço do Sul, Engenheiro Agrônomo PAULO WETZEL, abordou os prejuízos causados pela estiagem no município, que segundo o próprio, ultrapassam R$ 300 milhões. Haja vista que a seca perdura há seis meses, uma drástica situação que assola o setor agrícola, além da pecuária.

Segundo dados da Emater/RS-Ascar, os prejuízos chegam a 60% nas plantações de milho; 55% no cultivo da soja; e 40% no tabaco. Para WETZEL, há de se levar em consideração as expressivas cifras da soja, um déficit de R$ 110 milhões, mas também da cultura do tabaco, que abrange um número muito grande de famílias – São Lourenço é um dos maiores produtores do país, em fumo – a planta não desenvolve com a seca e o valor do produto diminui.

O Chefe do escritório da Emater/RS-Ascar enfatiza que “viveremos tempos difíceis”. Seria necessário um acumulado de 50mm de chuvas no mês para recuperar o solo. Porém, a projeção não é boa, com o fenômeno La Niña se aproximando, a expectativa, apesar do inverno, é de poucas precipitações.

Contudo, WETZEL abordou algumas ações positivas da Emater/RS-Ascar, como o programa ‘Segunda Água’, verba estadual e parceria com a Prefeitura Municipal para a construção de 39 açudes para famílias carentes do meio rural, kits de irrigação e, outros 10 açudes e futuras escavações.

ESCUTE A ENTREVISTA:

Entrevista com o Chefe do escritório da Emater/RS-Ascar, Eng. Agrº. PAULO WETZEL

por São Lourenço Repórter | 21/05/2020