A Promotora de Justiça de São Lourenço do Sul, Dra. Gabriela Monteiro, concedeu entrevista ao São Lourenço Repórter na manhã desta terça-feira (30), para abordar a liminar que indisponibiliza bens e valores do ex-prefeito do município, José Daniel Raupp Martins. A pedido do Ministério Público em ação Cívil  Pública, o titular da 2ª Vara de nossa Comarca, Dr. Bruno Barcelos de Almeida, determinou até o limite máximo de R$ 105,5 mil.

Na entrevista,  Monteiro relatou que José Daniel, na condição de prefeito no período de 2013 a 2016, contraiu nos últimos anos de seu mandato, despesas que não poderiam ser pagas no mesmo exercício de mandato. “Dívidas novas que não eram do custeio da máquina, onerando de forma imprudente os sucessores”, destacou.

Essa dívida, segundo a Promotoria de Justiça, fora contraída em prestações para colocação de pirâmides e cobrir despesas em demais eventos, como na passagem da Tocha Olímpica, 27º Festival de Bandas e Desfile de Cavalarianos.

AUXÍLIO EMERGENCIAL

Dra. Gabriela Monteiro relata que o Ministério Público já está investigando e solicita a comunidade lourenciana para que denuncie no MP das 13h às 17h30min quem tenha praticado este crime, como a mesma relatou. A lei rege que o dinheiro seja devolvido e, a Justiça apura o “crime de falsidade ideológica”, proferiu.

Criado em abril para atender a população de baixa renda durante a pandemia de coronavírus, o auxílio emergencial de R$ 600 também foi parar no bolso de muitas pessoas que não têm direito a ele. Quem fraudou o sistema para receber o dinheiro ou o recebeu indevidamente e não devolveu pode responder criminalmente por isso.

ESCUTE A ENTREVISTA:

Entrevista com a Promotora de Justiça, Dra. Gabriela Monteiro

por São Lourenço Repórter | 30/06/2020