O presidente do Sindicato Rural de São Lourenço do Sul, Ricardo Serpa, usou frases fortes para elencar as ações positivas e negativas no combate ao coronavírus, em entrevista na manhã desta quinta-feira (16) no São Lourenço Repórter. Representante de uma das entidades mais importantes do município, que representa toda categoria agropastoril, e integrante do Comitê da Covid-19, Serpa enaltece que “não podemos mais sacrificar empregos. Não concordo com a redução de horário, gera mais aglomeração”, proferiu – é o que nossa reportagem também constatou, nas filas dos Correios após redução de horário de atendimento, por exemplo.

Contudo, o presidente do Sindicado Rural valorizou o setor rural, em que salienta negócios recordes no período da pandemia. Tanto soja (o Brasil é o maior produtor do mundo), milho, como a exportação de carne, mostram dados otimistas. “Estamos no celeiro do mundo. Produzimos para um bilhão de pessoas. O mundo depende de nós (Brasil)”.

Mas talvez a frase que mais tenha chamado a atenção fora como Serpa projeta o pós-pandemia: “Vamos ser os primeiros a sair dessa crise”, alusão a importância do setor perante o planeta.

Na entrevista Serpa ainda aborda a impossibilidade de realização do primeiro drive-in no Brasil em São Lourenço, iniciativa do Sindicato, mas vetado pelas autoridades; o cancelamento da Expofeira em 2020 e a revitalização do Parque: “Demos vida ao nosso Parque”.

ESCUTE A ENTREVISTA:​

Entrevista com o presidente do Sindicato Rural, Ricardo Serpa

por São Lourenço Repórter | 16/07/2020