Fora aprovado por unanimidade na última Sessão Ordinária on-line, o Projeto de Lei que reajusta a alíquota do funcionalismo público de 11% para 14%. O presidente da Câmara de Vereadores, Luis Weber (PT), disse em entrevista ao São Lourenço Repórter na manhã desta quinta-feira (23), que os vereadores ficaram sem saída – eis que derrubando o PL o município poderia ficar sem crédito e interferir até na folha do funcionalismo. “O funcionário vai ter que pagar a mais para se aposentar. Reflexo da Reforma da Previdência do Governo Bolsonaro. Os vereadores ficaram sem saída”, explicou.

Weber ainda abordou as Eleições Municipais de 15 de novembro, na qual se diz pré-candidato a vice-prefeito e ou vereador pelo Partido dos Trabalhadores. Enfatizou a possibilidade de São Lourenço do Sul ser governada por uma mulher pela primeira vez, enaltecendo o nome de Marcia Lucas.

Por fim, falou da intenção da Casa Legislativa em repassar R$ 1 milhão para a Santa Casa de Misericórdia, através do fundo da Câmara e do duodécimo, caso haja o entendimento do executivo.

ESCUTE A ENTREVISTA:

Entrevista com o presidente da Câmara de Vereadores, Luis Weber (PT)

por São Lourenço Repórter | 23/07/2020