O setor de compras da rede supermercadista está agitado desde o começo da pandemia do novo coronavírus e o país orientando a seguir o isolamento social. No início, até com uma corrida de pessoas aos mercados com o objetivo de estocar alimentos essenciais em casa.

No atual período, a alta do dólar tem oscilado nos preços de diversos produtos nas prateleiras. Derivados do leite e soja dispararam e o varejo acaba repassando de imediato ao ‘bolso’ do consumidor. Embutidos, também apresentam descompasso. “Os frigoríficos estão diminuindo funcionários. Mas ainda não está faltando mercadoria”, confidenciou o empresário, Leonhard Jepsen, ao São Lourenço Repórter na manhã desta terça-feira (4).

Por outro lado, alguns itens têm diminuído à procura, reflexos da pandemia. “O país está importando menos, mas exportando muito. O agro está segurando”, aponta o empresário.

Os recentes aumentos verificados em alguns produtos, podem ocorrer em função da variação de matérias-primas e insumos. Fica evidente que enquanto a Covid-19 assolar o planeta, a gangorra dos preços irá perpetuar.

ESCUTE A ENTREVISTA:

Entrevista com o empresário Leonhard Jepsen

por São Lourenço Repórter | 4/08/2020