A proposta de reforma do governo do Estado RS prevê a revisão das alíquotas, com elevações que vão desde a proteína animal (bovinos, aves e suínos) de 7% para 17% e, setor leiteiro, toda cadeia de hortifrutigranjeiros, pão, etc… de 0% à 17% no Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Um impacto de 76% no setor alimentício, segundo o deputado estadual Zé Nunes (PT) em entrevista ao São Lourenço Repórter na manhã desta quarta-feira (9), que assumiu provisoriamente a cadeira da presidência da Assembleia Legislativa. “Hoje quem tem uma empresa está lutando para manter aberta – muitos estão fechando”, destacou.

Outro questionamento do parlamentar é quanto ao regime de urgência com prazo para ser votado em 16 de setembro, um curto prazo para debater o assunto. Apesar da reforma tributária prever a manutenção do Simples Nacional, Zé Nunes avalia que a proposta extingue o Simples Gaúcho “que foi um incentivo grande para as empresas, ele deixa de existir”, conclui.

ESCUTE A ENTREVISTA:

Entrevista com o deputado estadual Zé Nunes (PT)

por São Lourenço Repórter | 9/09/2020