No início da tarde deste sábado (28) a CEEE desfez mais uma vez a ligação clandestina de energia elétrica dos beduínos. Contudo, apuramos juntos ao Sr. Roberto Rivelino, do setor de despacho de ocorrências (CEEE Camaquã), que o grupo tem o hábito de religa logo em seguida: “Não tem garantia que não vão fazer de novo. A gente desliga, mas 30, 40 minutos depois eles ligam de novo”.   

Há quase um mês, os beduínos estão ocupando área imprópria às margens do arroio Carahá, localizada na Avenida Getúlio Vargas, esquina Avenida Sony Corrêa – São Lourenço do Sul. Mesmo com a determinação da Justiça imposta para que eles se retirassem com prazo de tempo do local, a situação continua a mesma. O espaço ocupado faz parte da Área de Proteção Permanente, de interesse ambiental, sendo assim, um local proibido para esse tipo ação.

QUESTIONAMENTO DO REPÓRTER: Até quando? De quem é a responsabilidade? É da administração municipal? Haja vista que de tempos em tempos os ciganos retornam e, sempre a mesma demora em alguma ação ou prevenção para habitarem áreas de reserva/proteção ambiental.