Em entrevista ao São Lourenço Repórter, o presidente da Associação dos Municípios da Zona Sul (Azonasul), prefeito de Arroio Grande, Luís Henrique Pereira da Silva, foi categórico ao abordar o surto de Covid-19 na região sul do Estado: “Se agravou no período eleitoral. No momento que o Tribunal Superior Eleitoral não entende o período de pandemia, é obvio que as pessoas se mobiliaram para a eleição, ou políticos. A democracia lamentavelmente falou mais forte que a saúde.

“Todos (candidatos) foram às ruas. Muitos se contaminaram, muitos contaminaram as pessoas, por impotência dos prefeitos de controlar multidões”.  

Luís Henrique Pereira da Silva

Presidente, Azonasul

Contudo, como presidente da entidade que compreende a 21 municípios, Luís Henrique, reeleito, disse que os prefeitos não devem ficar se martirizando: “Nós acatamos o que dizem os poderes. Não pode, não deve ficar na nossa conta, não fomos os responsáveis pelo momento democrático”, enfatizou.

Contudo, o fato é que na última sexta-feira (11) o governador Eduardo Leite elencou a R21, que está São Lourenço do Sul, em Bandeira Preta no mapa de Distanciamento Controlado. Mas, a Azonasul ingressou com recurso para retornar a Bandeira Vermelha: “Véspera de Natal, a economia morrendo, os empregos escapando… […], o mundo enfrenta a Covid-19 e as coisas tem que andar”. O prefeito de Arroio Grande tem como forte justificativa o anuncio de 10 novos leitos de UTIs em Pelotas, referencia regional para tratamento da doença, e responsável direto (leitos) por ditar as cores da bandeira do coronavírus.

A live em que Eduardo Leite se pronuncia ocorre às 17h.

ESCUTE A ENTREVISTA:

Entrevista com o presidente da Azonasul, Luís Henrique Pereira da Silva

por São Lourenço Repórter | 14/12/2020