A Polícia Civil realizou, nesta quarta-feira (16), uma operação para investigar homicídios em um conjunto habitacional no bairro Umbu, em Alvorada, na Região Metropolitana de Porto Alegre. Foram expedidos pela Justiça 67 mandados de prisão, 182 mandados de busca e apreensão e 30 medidas restritivas de contas bancárias.

Foram presas 17 pessoas e outras 39, que tiveram mandados expedidos, já estavam em presídios. Segundo a polícia, 21 investigados ainda seguem foragidos. Foram apreendidas armas e drogas.

Material apreendido pela polícia durante operação em Alvorada.

O conjunto habitacional, formado por 18 blocos e 900 apartamentos, foi dominado por criminosos, que expulsaram os moradores de ao menos 50 apartamentos, segundo a investigação. A quadrilha passou a negociar esses imóveis.

Em 18 meses de investigações, o grupo criminoso foi responsável por nove homicídios, todos eles com o envolvimento do chefe da organização. Entre as vítimas, está uma moradora que tinha dívidas de drogas. A mulher foi morta e teve o corpo queimado ao lado do complexo habitacional, para que o seu apartamento fosse vendido como forma de pagamento de dívida.

Para a polícia, a brutalidade do crime serve também como intimidação para quem confronta o poder da organização criminosa.

Segundo a polícia, criminosos expulsavam os moradores dos apartamentos.

A polícia informou que um dos grupos criminosos envolvidos nos crimes é chefiado por um detento do sistema prisional. Os policiais conseguiram identificar a participação de outros 99 criminosos.

Durante as investigações, foram interceptadas 125 linhas telefônicas, 1,8 milhões de ligações e 1,2 mil ligações foram transcritas.

De acordo com a Polícia Civil, a Operação Consórcio é uma das maiores ações da história da polícia gaúcha, desenvolvida pela Delegacia de Polícia de Homicídios e Proteção à Pessoa de Alvorada, com a participação de 850 policiais, que contou com o efetivo da Polícia Civil de São Lourenço do Sul (FOTO CAPA).