Na manhã desta terça-feira (29), o São Lourenço Repórter acompanhou a reunião solicitada pelo deputado estadual, Zé Nunes, junto ao DaerRS, solicitando que a velocidade seja revista na ERS-265, a qual sofrera alteração em diversos trechos, que reduzem de 80 km/h para 60 km/h, 50 km/h e, em alguns casos, até a 40 km/h. Da mesma forma também, fora questionado um termo de referência, elaborando um projeto na área urbana do Boqueirão, bem como maior sinalização e, a roçada da vegetação que adentra a rodovia.

Participaram da reunião, ainda, o presidente da Câmara de Vereadores, Luis Weber, o vereador eleito Ildo Döring, demais autoridades e integrantes da comunidade que margeiam a rodovia. Em comum, ampliação para a antiga velocidade (80 km/h), como  redutores de velocidade em zonas cruciais foram sugeridos. O questionamento também leva em conta as multas/”punições” recentes aplicadas pela PRE por quem transita na ERS-265, que liga São Lourenço do Sul a Canguçu.

O diretor de gestão e projetos do DaerRS, Sr. Sívori Sarti da Silva (FOTO CAPA), retificou que ira estudar as solicitações, mas de imediato, disse que o relevo em algumas situações, tem características com diretrizes de limitação, ou seja, não seria prudente alterar a nova velocidade demarcada. Quanto à conservação da rodovia, irá repassar à Diretoria de Infra-estrutura – a qual acredita estar em processo de contratação para realizar o serviço. Contudo, entende como importante um Termo de Cooperação Técnico junto às  Prefeituras, hoje permitido na legislação, para procedimentos de operação ‘tapa-buraco’, bem como roçadas, sejam realizadas pelas Secretarias de Obras dos Municípios.

Ciclismo não deve ser praticado em rodovias

Ainda, quando questionado a prática do ciclismo em rodovias, Sarti da Silva afirma que a recomendação CONTRAN, afirma ser uma temeridade muito grande: “Não temos pista para ciclista”, enaltecendo a falta de acostamento. “As rodovias não são compatíveis, em certos horários, o motorista não enxerga (ciclista)”, destacou.

O diretor de gestão e projetos do DaerRS finalizou orientando que Ofícios devem ser encaminhados para superintendência do Daer Pelotas e, novamente retificou que as solicitações serão estudadas.