Com a autorização do Ministério da Saúde (MS), o governo do Estado antecipará o início da vacinação contra a Covid-19 no Rio Grande do Sul para esta segunda-feira (18/1). O governador Eduardo Leite foi ao Centro de Distribuição Logística do MS, em Guarulhos (SP), receber de forma simbólica as primeiras 341,8 mil doses destinadas ao Rio Grande do Sul e fez o anúncio:

“Vamos receber as doses na tarde desta segunda e iniciar ainda hoje o processo de imunização. Temos uma rede de saúde bem distribuída e toda a rede logística já preparada. Transporte, rede de frio, seringas agulhadas, ou seja, tudo pronto para iniciar esse grande processo de vacinação assim que as doses chegarem à capital gaúcha. E, em 24 horas, as doses estarão em todas as regiões do Estado, para que elas também possam iniciar a aplicação, respeitando as faixas definidas no Plano Nacional de Imunizações (PNI)”.

Ao Rio Grande do Sul, estão sendo enviadas por avião 311.680 doses da CoronaVac, vacina do Instituto Butantan feita em parceira com o laboratório Sinovac, para os grupos prioritários (profissionais da saúde da linha de frente e idosos que vivem em instituições de longa permanência) e outras 30.120 à população indígena.

A primeira pessoa a receber a vacina no Estado será um profissional da saúde, cujo nome será definido pela equipe da Secretaria da Saúde em parceria com os hospitais. Os detalhes da primeira aplicação ainda estão em definição.

“Será um ato simbólico, uma forma de reconhecimento a todas as pessoas que estão há meses se arriscando para salvar vidas. Mas o importante é que já começaremos a vacinação com um grande volume, são mais de 340 mil doses no RS, o que garantirá a imunização de uma grande parte da rede hospitalar, das pessoas que estão mais expostas ao vírus, e em curto espaço de tempo”, destacou Leite.

A expectativa, a partir de informações repassadas pelo ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, a todos os governadores que participaram do início do processo de distribuição da CoronaVac, é que novas doses cheguem aos país nos próximos dias, além de contar com a autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para que a vacina envasada no Brasil seja incorporada ao PNI.

“A vacina é a solução para permitir que as pessoas estejam mais tranquilas para conviverem, se encontrarem e poderem circular, também para retomarmos a economia e, evidentemente, preservarmos vidas. Agradecemos ao Ministério da Saúde, que faz a aquisição das doses e que garante, dentro do PNI, que é a cultura do Brasil, a imunização de todos os brasileiros em todos os Estados”, acrescentou o governador.