Em tempos modernos de tecnologia avançada, o documentário “Trianon – A saga dos Campeões Mundiais em São Lourenço do Sul e a ascensão do Grêmio Esportivo Lourenciano”, que está sendo produzido por Renato Brächer, com data de lançamento em 17 de fevereiro de 2021, trará lembranças para uma geração que vibrou e para outra que não acompanhou os times que ficaram popularmente conhecidos há alguns anos, tanto o tetracampeão amador Grêmio Esportivo Lourenciano como o Trianon.

O Trianon surgiu em 1965, através da iniciativa de um cabeleireiro de Porto Alegre que recebia em seu salão jogadores da dupla GRENAL. O time foi criado a partir daí, e desde então, os jogadores começaram a realizar jogos festivos que beneficiavam instituições de combate à fome, miséria e câncer, através da renda que era conquistada.

Na década de 90, o Grêmio Esportivo Lourenciano, realizava viagens por todo o estado do Rio Grande do Sul e colhia diversas vitórias e títulos. Foi quando o time ficou famoso e na administração da época, de Beto Grill, com o secretário de turismo, Ricardo Martins, trouxeram a equipe do Trianon para São Lourenço do Sul. No jogo beneficente de dezembro de 1994, o mais emblemático dos amistosos GEL x Trianon, jogadores bastante conhecidos estiveram presentes, entre eles: Mauro Galvão, Hugo de Léon, e os recentes Campeões Mundiais pela Seleção Brasileira: Dunga, Branco e Márcio Santos.

O placar ficou 2 a 1 para o Trianon. No entanto, o time quase perdeu e existem relatos de alguns atletas sobre a fúria do volante Dunga (FOTO CAPA), capitão do tetra, bravo naquela ocasião: “Por ter vencido só de 2 a 1 de uma equipe amadora”, contou Brächer na manhã desta quarta-feira (20), ao São Lourenço Repórter.

Entrevista com Renato Brächer

por São Lourenço Repórter | 20/01/2021