A situação das estradas no interior de São Lourenço do Sul afeta diversos moradores, como também, muitos profissionais da área da saúde, mas principalmente, pacientes do Hospital da Reserva, referência na região, devido a diversos atendimentos especializados. Nesta manhã (19), o Coordenador da casa de saúde, Aloisio Gularte, disse que a população está preocupada quanto à manutenção das estradas, principalmente na via que liga a ERS-265 até o hospital, com pouco menos de 5 km. “Não é sempre que a estrada está ruim. Na grande maioria a estrada está ruim e a gente se sente de certa forma abandonado” indagou ao São Lourenço Repórter.

Com fluxo sempre intenso, a maior preocupação é pra quem precisa ser transportado por ambulância. Em algumas situações, passa um veículo ou outro, devido às ‘costeletas’.

Diariamente o transporte do hospital leva equipes de saúde presentes na cidade até o interior e, além disso, ambulâncias transportam até o local pacientes que precisam de atendimentos. Em razão disso, o coordenador destacou que faz mais de três semanas que nenhum auxílio é dado à estrada que se encontra com muitos buracos, ‘costeletas’, cratera, pedras e ponte com guarnição precária. “Segurança zero para um fluxo que todos sabem que é intenso o tempo todo”.

Na entrevista, Gularte fez um questionamento a Administração Municipal pela manutenção: “A reivindicação é em nome da população, em nome do hospital. Nós temos que batalhar por aquilo que traga o bem comum, não podemos ficar calados esperando, temos que funcionar, só assim as coisas se organizam”, ressaltou.

Verdadeiras crateras foram defrontadas pela nossa redação, logo na saída da ERS-265.

Para mais informações, ouça a entrevista completa:

Entrevista com o Coordenador do Hospital, Aloisio Gularte

por São Lourenço Repórter | 19/02/2021