Hoje, dia 8 de Março, é celebrado o Dia Internacional da Mulher. Foi-se o tempo em que a data era entendida pela maioria (dos homens, principalmente) como algo decorativo onde uma flor e um chocolate eram o suficiente para, em muitos casos, ter atitudes imbecis durante o resto do ano. O quadro HISTÓRIA DA MÚSICA do São Lourenço Repórter separou diversos temas para refletir a data.

“Mulher, criação mágica de Deus.

Retrato fiel do encanto e sedução;

Espelho de intuição e sabedoria;

Estampa fina, forte e sutil;

Amostra de delicadeza e fibra;

Exposição da beleza e do amor.

Parabéns à todas as mulheres!”

Nara Nubia Alencar Queiroz

Nos versos de Dona de Mim, IZA disserta sobre sentir-se perdida e que após manter-se calada diante de situações difíceis, ela pretende falar tudo que sempre oprimiu, pois Deus a fez assim dona de si.

“Mulher…

Que sejas sempre lembrada,

não apenas por um dia,

mas no dia a dia…

Que sejas festejada,

não por convenção,

mas pelo seu valor,

sua força, seu coração.

Que sejas respeitada

com todo carinho,

e todo amor…

Hoje e sempre!”

Valéria Milanês

A cantora brasileira Pitty falou sobre os estereótipos que a sociedade aplica às mulheres e resolveu contar a história de uma que resolveu mudar as coisas, além de abordar a diferença de salários entre homens e mulheres.

O dia 8 de março deve ser visto como uma concentração de oportunidades para que todos avaliem as suas atitudes durante os 365 dias do ano, compartilhem o respeito e, o mais importante, trabalhem das mais variadas formas em busca da igualdade de gêneros, principalmente em áreas como o mercado de trabalho e na diminuição da absurda diferença de salários entre homens e mulheres.

Para encerrar, vamos ouvir os versos de PAGU, de Zélia Duncan e Rita Lee.