O Ministério da Saúde enviou uma carta à Embaixada da China para tentar adquirir 30 milhões de doses da vacina Sinopharm. No documento, a pasta afirma que “por falta de doses, dada a escassez da oferta internacional”, a campanha nacional de imunização pode parar. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo. O secretário-executivo da Saúde, Elcio Franco, enviou a carta na segunda-feira (8), ao embaixador chinês no Brasil, Yang Wanming. Franco pede que as doses sejam entregues ainda no primeiro semestre.

“A campanha nacional de imunização, contudo, corre risco de ser interrompida por falta de doses, dada a escassez da oferta internacional. Por conta disso, o Ministério da Saúde vem buscando estabelecer contato com novos fornecedores, em especial a Sinopharm, cuja vacina é de comprovada eficácia contra a Covid-19”, escreveu o secretário-executivo.