O Dr. Alfredo Pukall Born, presidente da Sociedade de Medicina de São Lourenço do Sul (SOMESUL) e vice-diretor clínico do Centro de Saúde São João da Reserva, voltou nesta terça-feira (30), ao São Lourenço Repórter para falar sobre a pandemia de Covid-19.

Em entrevista, Alfredo contou que além de trabalhar em um hospital de São Lourenço do Sul, trabalha também no Hospital de Clínicas de Porto Alegre e isso permite que ele veja a realidade em um fluxo maior, devido a alta complexibilidade dos atendimentos. “Após o carnaval, a gente está enfrentando, eu chamaria de uma terceira onda. Sem dúvidas, a maior delas. A gente não passou em momento algum ano passado pela situação aqui no nosso Estado”, disse.

Entre os fatores que contribuíram para o avanço da gravidade da doença, Born citou a pesquisa realizada pelo Hospital de Clínicas que fala da nova cepa de Manaus. “Pegou realmente a população sem nenhuma imunidade a esse tipo de vírus, a essa variante do vírus, e se espalhou de uma forma sem precedentes até agora”.

Na oportunidade, Alfredo frizou novamente os cuidados contra a doença e pediu para que as pessoas usem a máscara e façam o distanciamento social, pois de acordo com suas informações, a principal forma de contágio é através das mãos e da inalação de gotículas que ficam no ar após a pessoa tossir, espirrar ou falar.

“Quando se usa a máscara não é pra proteger o teu nariz e a tua boca apenas, isso também ajuda, mas é pra evitar que a gotícula da tua respiração, da tua fala saia no ar e vá parar em cima do balcão, da maçaneta e da pele das outras pessoas”.

Por fim, o profissional abordou a corrida pela vacina e a sua ótica em relação ao “tratamento precoce” contra o coronavírus — ouça a entrevista completa para mais detalhes: