A vacinação contra a Covid-19 continua na segunda-feira (26) para as pessoas com 60 anos, das 14h às 16h nos modelos drive-thru e fila indiana (a pé). Novamente será na rua General Osório, lateral da Secretaria de Saúde, em frente a Vigilância Sanitária e Epidemiológica Municipal. Mantem-se o calendário da segunda dose para 71 e 72 anos na terça-feira (27).

Para receber a dose da vacina é preciso levar Cartão SUS, Carteira de Vacinação (se tiver), CPF, Carteira de Identidade e comprovante de residência.

VACINAÇÃO SUSPENSA

Assim como outros Municípios, São Lourenço do Sul obriga-se a suspender parte do calendário de aplicação da segunda dose contra a Covid-19 da próxima semana, por falta de vacinas. A programação de quarta-feira (28) para 69 e 70 anos e de quinta-feira (29) para 67 e 68 anos será remarcada para outra data.

A maior parte do quantitativo de imunizantes que o Município recebeu na sexta-feira (23) é da AstraZeneca, mas estes grupos receberam a primeira dose da Coronavac e necessariamente precisam receber o mesmo imunizante na segunda aplicação. Assim que novas doses chegarem, as pessoas de 67, 68, 69 e 70 anos serão informadas da data de aplicação. É possível acompanhar as informações nas redes sociais e site da Prefeitura, ou manter contato telefônico com a UBS de referência.

A secretária de Saúde de São Lourenço do Sul, Adriane Hüber Martins explica que faltam 3 mil doses de Coronavac para atender a segunda aplicação de muitos que receberam este imunizante na primeira dose, mais de 700 faltam para a próxima semana. “Veio pouco em relação ao que precisamos. Deveriam mandar o quantitativo necessário de segunda dose com base no que foi a primeira”, diz a secretária.

Adriane ainda explica que sempre que chegam as doses, com elas vem uma tabela com o quantitativo para cada faixa etária e se é primeira ou segunda dose. Sempre foram seguidas a risca as determinações da Campanha Nacional de Imunização e as orientações do Estado. “Sempre atendemos as orientações e o que se esperava é que mandariam as quantidades necessárias quando os calendários fossem vencendo”, lamenta a secretária. Associações de Municípios e várias entidades já estão se manifestando e dialogando sobre a situação, buscando solucão para evitar impactos no processo de imunização da população.

Apesar da recomendação de seguir os dias necessários para segunda dose, as autoridades em saúde já sabem que não há indícios de alteração na eficácia ao aguardar alguns dias a mais para aplicação. Não há um prazo máximo para isso, portanto, não há motivo para pânico neste grupo da população. A Secretaria de Saúde reforça que, tão logo cheguem as doses, elas serão aplicadas.