Os municípios poderão começar a vacinar adolescentes de 12 a 17 anos com comorbidades, de acordo com definição e organizações locais, a partir dos próximos dias, quando forem distribuídas vacinas contra a Covid-19 da fabricante Pfizer. O Estado está recebendo, entre segunda (19/7) e esta terça-feira (20/7), o total de 429.820 doses, assim distribuídas: 283.100 da Astrazeneca; 65.520 da Pfizer; 81.200, Coronavac.

A destinação dos imunizantes foi definida em reunião da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), nesta terça (20). As doses serão utilizadas para avançar na vacinação por faixa etária e começar a vacinação dos adolescentes com comorbidades (exclusivamente com a vacina da Pfizer). Parte do lote de cada uma das fabricantes ficará reservada, até o momento mais oportuno, na Central Estadual de Armazenamento e Distribuição de Imunobiológicos (Ceadi), em Porto Alegre, destinadas para a segunda aplicação.

“Temos muitos adolescentes que precisam ser protegidos. Quem tem comorbidade tem o direito de receber a vacina”, disse a secretária da Saúde, Arita Bergmann. A diretora do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs), Cynthia Molina Bastos, explicou que “das pessoas que morreram por complicações da Covid-19 nesta faixa etária, 100% tinham alguma comorbidade, como obesidade, diabetes tipo 1, câncer ou doenças autoimunes, por exemplo”. Existe liberação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para vacinar este grupo com a vacina da Pfizer.

Fronteira

As doses das vacinas Astrazeneca e Coronavac que serão distribuídas nos próximos dias não contemplarão, nesta remessa, os 29 municípios de fronteira que tiveram doses antecipadas na última distribuição, na quinta-feira (15/7).

A estratégia do Ministério da Saúde teve o propósito de acelerar a campanha de vacinação nestes municípios e evitar o ingresso de novas variantes da Covid-19 pela fronteira do Uruguai ou da Argentina. As Pfizer destinadas ao público adolescente com comorbidade serão distribuídas de maneira proporcional aos 497 municípios.