Um pastor de 43 anos foi detido durante a Operação Cordeiro de Deus, deflagrada pela Polícia Civil na manhã de quinta-feira (12), em Camaquã. O religioso, que não teve o nome divulgado, foi preso preventivamente em sua residência, no bairro Floresta, após relatos de quatro fiéis de sua congregação. Elas afirmam ter sido estupradas pelo religioso.

De acordo com a investigação, o pastor convidava fiéis para uma “campanha de oração” em uma sala reservada, onde ocorreriam os estupros.

— Ele passava as mãos nos seios, passava a mão na região genital. Algumas vítimas relatam que, durante essas supostas orações, ele suava, demonstrava prazer. Elas então se deram conta de que estavam sendo vítimas — afirma a delegada Vivian Sander Duarte, titular da Delegacia de Polícia de Camaquã e coordenadora da operação.

Segundo a investigação, os estupros teriam ocorrido entre maio e junho deste ano. A delegada afirma não existirem outros suspeitos investigados na congregação do pastor. A operação também cumpriu mandado de busca e apreensão para que o celular do pastor seja analisado. A prisão preventiva tem prazo de 90 dias e pode ser prorrogada pela Justiça.

O número 180 funciona 24 horas por dia, inclusive em sábados, domingos e feriados, e presta assistência a mulheres em situação de violência.