Nesta segunda-feira (23), esteve no São Lourenço Repórter, o presidente da APAE São Lourenço do Sul, Guido Lüdtke, a diretora da entidade, Rosangela Fonseca e, o usuário Edinilson Ferreira Xavier para abordar a Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla. “O objetivo é conscientizar sobre a importância das políticas públicas para esse seguimento na sociedade e reduzir o preconceito”, destacou a diretora. “Vai um alerta para a população: essas pessoas fazem parte da suas famílias, um pai, uma mãe, um irmão”, concluiu Edinilson.

A Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla é uma campanha anual, desenvolvida de 21 a 28 de agosto, pela Federação Nacional das Apaes (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae)), desde 1963. Foi introduzida no calendário nacional pela Lei nº 13.585/2017. A campanha permeia os trabalhos desenvolvidos pela instituição ao longo de todo ano, como instrumento de defesa, garantia de direitos e mobilização social.

O objetivo é divulgar conhecimento sobre as condições sociais das pessoas em situação de deficiência intelectual e múltipla, como meio de transformação da realidade, superando as barreiras que as impedem de participar coletivamente em igualdade de condições com as demais pessoas. A cada ano é definido um tema que busca conscientizar a sociedade acerca de determinadas necessidades para inclusão plena. Autonomia, protagonismo e independência têm sido conceitos recorrentes; a campanha tem sido uma ferramenta para promoção de uma atitude de eminência para com a pessoa em situação de deficiência intelectual múltipla em diversos campos da vida.

 

Em 2021, o tema norteado: “É tempo de transformar conhecimento em ação”. Esse tema aponta para o fato de que hoje o Brasil tem uma das legislações mais avançadas do mundo no que se refere à garantia de direitos das pessoas em situação de deficiência, no entanto, na prática, a maior parte do que se assegura na lei não é acessível a todos. Em um país com dimensões territoriais de continente, as desigualdades das condições de vida são evidentes, bem como a marginalização social de determinados grupos, que por sua condição de vulnerabilidade, necessitam de apoio especializados para superação das barreiras que impedem o exercício pleno da sua cidadania.

Este ano, a proposta é provocar o debate nacional levando às pessoas em situação de deficiência intelectual e múltipla, conhecimento sobre os seus direitos, a partir de conteúdos acessíveis sobre transporte, moradia, acesso à educação, saúde e assistência social, pensando em como assegurar que esses direitos se efetivem na vida diária.

E você, conhece a Lei Brasileira de Inclusão?

Junte-se a APAE nesta campanha e colabore com uma sociedade mais justa e inclusiva para todos!

Entrevista com a diretoria da APAE SLS

por São Lourenço Repórter | 23/08/2021