A urna eletrônica é realmente segura? Já foram comprovadas fraudes na urna eletrônica?

A urna eletrônica é realmente segura? Já foram comprovadas fraudes na urna eletrônica?

Em todos os anos de eleições no Brasil, além dos acalorados debates entre os candidatos e suas propostas, sempre surge uma pergunta: a urna eletrônica é realmente segura? Essa questão mexe com o imaginário das pessoas e acende discussões na imprensa e nas redes sociais. Toda sorte de supostas fraudes e teorias conspiratórias surge nessa época. O fato é que a Justiça Eleitoral trabalha duro para garantir que a votação ocorra de forma segura, transparente e eficiente.

O voto impresso já fora desqualificado em Brasília. Na manhã desta quarta-feira (25), conversamos no São Lourenço Repórter com o Chefe do Cartório Eleitoral 80ª Z.E., Dr. Alexandre Palma Geisler: “Nós servidores públicos, aqui na ‘ponta da lança’, que faz a eleição, cabe cumprir o que foi determinado pelo Congresso e pelo TSE. Se houvesse essa aprovação do voto impresso, certamente nós trabalharíamos com isso”, evidenciou.

O dispositivo eletrônico começou a ser utilizado massivamente a partir das eleições municipais de 1996, no Brasil e, até hoje, nenhuma fraude fora comprovada. “O ‘pulo do gato’ referente a segurança de todo processo de votação, não só de urna eletrônica, como também em totalização, é a cerimônia de assinatura e lacração dos programas de urna eletrônica, onde é feito no TSE, um ano antes das eleições; ali é conferido se o programa funciona dentro dos conformes e, ele é lacrado” – escute a entrevista na íntegra:  

Entrevista com o Chefe do Cartório Eleitoral 80ª Z.E., Dr. Alexandre Palma Geisler

por São Lourenço Repórter | 25/08/2021

Pin It on Pinterest