Em diversos pontos do território nacional estão sendo programados atos por defensores do presidente Jair Bolsonaro para o 7 de Setembro. As manifestações de teor político têm conotação de ameaças e invasão ao prédio do Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília e, de interdições de rodovias.

Em São Lourenço do Sul, neste domingo (5), um carro de som percorria as ruas da cidade convocando para uma carreata no 7 de Setembro, com saída as 9h30min da Av. Nono Centeno: “Grande carreata, dia 7; Concentração iniciando as 9h30min; Nossa liberdade está ameaçada; Os corruptos estão sendo soltos; A impunidade impera; E quem denuncia é quem está sendo preso; Os que soltaram os corruptos querem contar os votos; E nos convencer que a urna deles é infraudável; Basta, infraudável deve ser a democracia”, incitava a gravação.

Nos últimos dias, Bolsonaro tem convocado apoiadores para as manifestações. Em diversos discursos, incitou os eleitores a não ceder nas críticas contra o STF e considerou o feriado como uma oportunidade única para que o país renove a sua independência. Na quarta-feira (1º), o chefe do Executivo disse que “quem quer paz se prepare para a guerra”.

A Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul) lançou, no sábado (4), carta aberta em que repudia a relação de conflito entre os Poderes da República e critica o “viés político adotado pela mais alta corte do Poder Judiciário”, o Supremo Tribunal Federal (STF).

Contudo, a entidade também declarou, na nota, apoio ao “movimento cívico, pacífico, ordeiro e democrático de 7 de Setembro”.