A Secretaria Estadual da Saúde (SES) confirmou, nesta segunda-feira (6), que o Rio Grande do Sul recebeu, no dia 27 de julho, 2,9 mil doses de CoronaVac do lote L202106038, que está entre os 12,1 milhões de imunizantes cuja aplicação foi suspensa pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). As vacinas estão sendo rastreadas pelas equipes técnicas responsáveis e os usuários que receberam a aplicação serão acompanhados, durante 30 dias, para avaliação de possíveis eventos adversos.

Conforme a SES, as 2,9 mil doses foram distribuídas no dia 28 de julho para as Coordenadorias Regionais de Saúde de Frederico Westphalen (a 2ª CRS, com 480 doses); Pelotas (3ª CRS, 1.850 doses); Bagé (7ª CRS, 400 doses) e Erechim (11ª CRS, 170 doses).

No total, em todo o país, 25 lotes foram suspensos pela Anvisa. O Ministério da Saúde não informou, até o momento, quantos desses imunizantes foram usados nem qual será a orientação para quem tomou essas vacinas. Os Estados e municípios foram orientados a não usar mais esses produtos, cuja interdição é válida por 90 dias, até que os técnicos da Anvisa analisem as condições da fábrica da Sinovac, parceira do Butantan, onde foi realizado o envase.

Até o momento, sabe-se que o estado de São Paulo recebeu o maior quantitativo das 12,1 milhões de doses – foram aplicadas cerca de 4 milhões de unidades. Outros 18 Estados, incluindo o Rio Grande do Sul, também receberam parte do montante total.

Doses paralisadas

A remessa de 299.400 doses de CoronaVac, que seria enviada ao Rio Grande do Sul nesta segunda-feira (6), foi suspensa. De acordo com a SES, este quantitativo incluía um dos lotes bloqueados pela Anvisa, pertencentes às 12,1 milhões de doses que tiveram sua aplicação proibida.

Os imunizantes ficaram retidos na Central Nacional de Armazenamento e Distribuição de Imunobiológicos (Cenadi), em Guarulhos (SP). Bloqueadas no Sistema de Insumo Estratégicos do Ministério da Saúde, as vacinas serão mantidas em quarentena na temperatura entre 2 °C e 8 °C até a conclusão da investigação pela Anvisa.

Ainda na tratativa da documentação, o Instituto Butantan – responsável pelas doses – marcou uma reunião com a Anvisa para esta segunda-feira (6), às 15h.