Donos dos sucessos “Canto Alegretense”, “Origens” e “Galpão Crioulo” encerrarão a primeira noite do Festival.

O Reponte da Canção, um dos maiores e principais eventos nativistas do estado do Rio Grande do Sul, terá sua 34ª edição nos dias 8 e 9 de abril. O evento ocorrerá no Galpão Crioulo do Camping Municipal e paralelamente, é realizado o 26º Pérola em Canto, evento em âmbito municipal que funciona como classificatória para o Reponte.

No primeiro dia do Festival, Os Fagundes irão encerrar a noite. Os Fagundes mostram ao público as performances individuais que resultaram da renovação do trabalho e dedicação da família mais musical do Rio Grande do Sul. A genética não nega. A arte está no sangue de cada integrante da família. Eles respiram música. E a trajetória de Os Fagundes, que vai do México ao Alegrete, passando pela Itália, França e Argentina, foi apresentada através da série “Tá no Sangue”, que tem sua trilha sonora presenteada aos gaúchos e as gaúchas através de uma apresentação que transborda do palco para a platéia.
Os irmãos Ernesto, Neto e Paulinho Fagundes dividem o palco em uma homenagem especial ao pai, Bagre Fagundes, que introduziu a cultura musical na vida dos filhos. “Não há como falar de nossa evolução artística sem reverenciarmos o início de tudo, nosso pai”, emociona-se Ernesto. Esta influência paterna é apresentada ao público através dos trabalhos individuais desenvolvidos por cada um, mas sempre com o “pitaco” da família. “Só é bom voar bem alto, quem tiver chão para pousar”, exalta Neto Fagundes, ao referir-se à influência e importância da família em sua carreira.
Neto busca a integração entre as diferentes culturas musicais brasileiras. O caminho que escolheu percorrer é desenhado em cada interpretação que realiza. Desde os primeiros passos como artista, trouxe a união do regionalismo às diversas sonoridades, ligando a cultura gaúcha ao rock, ao reggae, levando o tradicionalismo para dentro dos teatros. Da família, unida pela música, com laços fortalecidos pela amizade, Ernesto compartilha na relação com o pai (Bagre) a cumplicidade nos sentimentos. O patriarca teve como primeira referência a música mexicana e, a partir deste legado, Ernesto escolheu defender e difundir a cultura latino-americana, marca de seu trabalho. O bombo leguero, instrumento de percussão argentino, que o acompanha nas andanças pelo mundo, ele afirma ser a extensão de seu corpo. “O índio que vive mim bate um tambor no meu peito”, declama o percussionista, que possui dez CD’s e dois DVD’s.
O mais novo, Paulinho Fagundes, é um artista maduro, estudioso e instrumentista de excelência. “Estou sempre à vontade com a família reunida no palco, pela liberdade que eles me dão para criar”. É grato pela oportunidade de fazer música em família e ter como mestres, seu pai e os dois irmãos mais velhos. A liberdade e influência recebida fortaleceu a busca pela sua individualidade musical, conquistando parcerias de trabalho com os maiores nomes da música instrumental brasileira. Paulinho possui dois CD’s gravados (Pedra Moura e Janeiro). Em 2021 está lançando o álbum YBY com Vagner Cunha e Bebê Kramer e com Ernesto Fagundes o disco novo chamado Capricórnio. As clássicas como De filho para pai, Origens, Galpão Crioulo e Canto Alegretense integram o repertório do show.

Programação do 34º Reponte da Canção

Sexta-feira (08)

  • 20h – Abertura do Festival com solenidade e Show Especial de Abertura
  • 21h – Apresentação das concorrentes do 34º Reponte da Canção e 26º Pérola em Canto
  • 23h – Show
  • 00h – Premiação do 26º Pérola em Canto
  • 00h30 – Show de ‘Os Fagundes’

Sábado (09)

  • 20h – Show
  • 21h – Apresentação das finalistas do 34º Reponte da Canção
  • 22h30 – Show baile com Grupo Querência
  • 23h – Premiação 34º Reponte da Canção
  • 00h – Show baile com Grupo Querência