Com o agravo da estiagem, onde a única saída é a irrigação, na oportunidade conversamos com o diretor da Farsul e presidente do Sindicato Rural de São Lourenço do Sul, Ricardo Serpa, para saber como as entidades rurais pretendem agir no aporte para a maior indústria a céu aberto do planeta: produção agrícola e da pecuária.

“A saída é sensibilizar as autoridades. O nosso município ainda tem problemas pontuais, mas que a cada dia se agrava”, disse Serpa em entrevista ao São Lourenço Repórter na manhã de hoje (12).

Para Decretar Estado de Emergência por aqui, é preciso baixas significativas – mais de 15% de prejuízos em algumas culturas, como na produção leiteira, que o presidente acredita já ter superado: “Nós temos que ter 25% com perdas, ou 15% na fruticultura e pecuária”, relatou.

Na data, está sendo entregue uma Carta em Santo Ângelo a Ministra da Agricultura Tereza Cristina, solicitando a prorrogação de dívidas, tanto de custeio como investimentos, devido a seca, por mais 6 meses – escute a entrevista:

Entrevista com o presidente do Sindicato Rural de São Lourenço do Sul, Ricardo Serpa

por São Lourenço Repórter | 12/01/2022