Violência obstétrica: o que é, como identificar e como denunciar

Uma parturiente ingressou na maternidade em trabalho de parto e, mais de dez horas depois, sem assistência, deu à luz seu bebê no corredor do hospital, tendo a recém-nascida caído no chão após o expulsivo. Ante os graves fatos, o hospital foi condenado por violência obstétrica e terá de indenizar por danos morais. Assim determinou a 10ª câmara de Direito Privado do TJ/SP, que, diante da gravidade do episódio, majorou o montante para R$ 50 mil.

Em entrevista ao São Lourenço Repórter na manhã desta quinta-feira (27), o advogado Dr. Maurício Raupp Martins também trouxe outras situações que remetem a violência obstétrica: “A mulher está grávida e vai ter um filho. A mulher tem direito a ter um parto natural. Se ela não tem necessidade de fazer uma cesariana e um médico inventa de fazer, isso é uma forma de violência obstétrica”

——————————

Site: https://www.saolourencoreporter.com/

Facebook: https://www.facebook.com/saolourencoreporter/

Instagram: https://www.instagram.com/saolourencoreporter

Twitter: https://twitter.com/sl_reporter

Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCi2Q8Id9oHhe6j78euBmdiQ

São Lourenço Repórter

Vinculado ao Web Site do Programa São Lourenço Repórter.

Há mais de 30 anos trazendo informação à população lourenciana.

Pin It on Pinterest