Projeto Balde Cheio é realizado com técnicos e produtores assistidos da Coopar/Pomerano

Projeto Balde Cheio é realizado com técnicos e produtores assistidos da Coopar/Pomerano

Há cerca de um ano a COOPAR/Pomerano, em São Lourenço Sul, é parceira da Embrapa no desenvolvimento do Projeto Balde Cheio Sul. Este projeto em rede  é desenvolvido pela Embrapa há 24 anos, e foi retomado no RS há três anos. O foco das ações é capacitar técnicos das cooperativas para que repassem novas técnicas aos produtores assistidos. A Coopar vai beneficiar uma capacitação que se estenderá a quase 4.750 famílias.

“O nosso planejamento é de ampliar cada vez mais o programa, sem distinção de regiões, número de municípios, produtores ou técnicos envolvidos. Até porque acreditamos que o programa tem o potencial de transformar regiões, sem destaque em termos de volume ou produtividade, e em regiões que avancem em desenvolvimento regional baseado na produção de leite”, explicou a pesquisadora da Embrapa Pecuária Sul, Renata Suñé Martins da Silva.

“Trabalhamos com os técnicos e produtores de leite o equilíbrio, pois  aqueles que conseguem alcançar esse patamar são os que conquistam diferenciais em produtividade e renda na propriedade leiteira”, disse o coordenador do Balde Cheio, André Novo, da Embrapa Pecuária Sudeste (São Carlos, SP). Segundo ele, o Projeto não é de assistência técnica, mas contém uma visão de intensificação de sistemas de produção leiteira. A equipe  envolvida no Projeto é a pesquisadora Renata Suné Martins da Silva, o analista Sergio Bender, da Embrapa Clima Temperado (Pelotas,RS) e o consultor técnico Juliano Alarcon Fabrício.

Desenvolvimento de ações

Ao longo do segundo semestre de 2021 foram realizadas várias capacitações online pelos pesquisadores e acompanhamento do consultor técnico junto aos técnicos locais e produtores assistidos da COOPAR, alcançando mais de três capacitações virtuais por motivos da pandemia.

Neste ano de 2022, foi feita a primeira capacitação presencial com os técnicos  e produtores assistidos da Cooperativa vinculados ao Projeto nos dias 15 e 16 de março. O consultor técnico do Projeto, Juliano Alarcom Fabrício visitou todas as propriedades envolvidas através da COOPAR. A cada uma foram tratadas as necessidades de ajustes e apresentada uma avaliação do desempenho de manejo e produção do gado leiteiro. “Já tenho 15 anos de Projeto, mas o que mais me chamou a atenção nesta capacitação foi a valorização da presença física do técnico local realizando o trabalho em parceria com o produtor participante”, observou.

Sobre o desempenho das quatro propriedades envolvidas no Projeto, Fabrício disse que estão se desenvolvendo de maneira adequada as indicações de uso do portfólio de pastagens da Embrapa como o capim BRS Kurumi,  BRS Zuri, BRS Capiaçu, jigs e tiftons e demonstraram  ainda em seu desempenho os ajustes indicados para a cultura do milho, o qual utilizaram adubação recomendada, alcançando, em algumas dessas áreas, cerca de 70 toneladas de silagem por hectare. “Estou me sentindo em casa, pois o primeiro ano do Balde Cheio junto aos produtores vinculados a esta Cooperativa foi de conhecimento e internalização de ações do Projeto, e agora, para este segundo ano, vamos ampliar as áreas nas propriedades e isso nos fará chegar a patamares de produção de 1,8 a 2,.5 vacas em lactação/ha, podendo chegar a 20 mil litros de leite/ha/ano”, falou. Outro detalhe avaliado por ele foi a certificação de que é possível o desenvolvimento de pastagens perenes na região. “É incrível como cada propriedade participante possui um potencial para estas pastagens. As imagens mostram este resultado”, destacou.

A capacitação contou com visita às propriedades de Ildo Boelke e laini Boelke, da localidade de Corrientes, município de Turuçu; de  Adriel Bartz da localidade de Faxinal, do município de São Lourenço do Sul; de  Diego e Jamila Casarin, da localidade de Coxilha dos Cunhas, do município de Canguçu, e de Tiago Dummer, da localidade de Estação Costa do Pinheiro, do município de Chuvisca.

Agenda de capacitações em 2022

Durante a capacitação presencial foi definido o calendário de treinamentos durante este ano. O formato adotado pelo projeto será um encontro presencial e  cinco treinamentos pelas plataformas on-line. A agenda ficou estabelecida nas seguintes datas:

Março – dias 15 e 16 (presencial) e os encontros virtuais em

Maio – dia 19

Junho –  dia 15

Setembro – dia 13

Novembro –  dia 25

Cristiane Betemps (MTb 7418/RS)

Embrapa Clima Temperado

Pin It on Pinterest