Estudantes da FURG-SLS participam de saída de campo sobre uso, manejo e conservação do solo

Estudantes da FURG-SLS participam de saída de campo sobre uso, manejo e conservação do solo
Visita foi realizada em uma propriedade rural agroecológica, localizada em Santa Isabel

Recentemente, estudantes do curso de Agroecologia da FURG São Lourenço do Sul (FURG-SLS), vinculados à disciplina de Uso, Manejo e Conservação do Solo, visitaram uma propriedade rural agroecológica do município. Situada na localidade de Santa Isabel, a agroecologia é desenvolvida no espaço desde o início dos anos 2000, em um agroecossistema mantido por José Laércio e Elaine Pollnow.Durante a saída de campo, alunos e alunas tiveram a oportunidade de visualizar, na prática, diferentes técnicas de uso, manejo e conservação do solo, todas elas com base nos princípios da agroecologia.

Em áreas de produção hortícola, frutícola e de criação animal, os presentes observaram técnicas como o cultivo em nível (produção ordenada por linhas, respeitando as diferentes altitudes do terreno), a manutenção da cobertura do solo, o uso de adubação verde, rotação de culturas e o pousio (descanso ou repouso proporcionado às terras cultiváveis, interrompendo-lhe as culturas para tornar o solo mais fértil), por exemplo.

Além disso, o grupo pôde dialogar sobre alguns implementos utilizados pelos agricultores para o manejo do solo e o cultivo em plantações da propriedade. Chamou a atenção da turma uma ferramenta desenvolvida pelo dono, Laércio, com o intuito de facilitar o plantio de cenoura e beterraba, considerada prática para fazer a semeadura, de acordo com os estudantes.

Para a aluna Naytiara Souza Evaldt, a aula na propriedade rural foi de grande importância não só para fortalecer o que é visto em sala de aula, mas para entender na prática como funciona uma propriedade agroecológica. “Não analisamos somente a parte dos solos, mas a propriedade como um todo. Isso que fortalece a agroecologia, onde tudo é trabalhado junto em um sistema de harmonia”, relata.

Também estudante, Maurício Souza Lima destaca o valor que as saídas de campo têm para ele, como discente. “Uma das coisas mais e extremamente importantes do curso são as saídas de campo. Podemos conhecer as histórias dos produtores da agricultura familiar, suas lutas e dificuldades para conseguir se manter no campo. Como estudantes que somos, precisamos passar por essas experiências”, entende.

Maurício acredita que as visitas realizadas em propriedades rurais são “verdadeiros laboratórios de práticas agroecológicas”. “Podemos trocar conhecimentos, aprender mais sobre a vida do campo e levar melhorias de infraestruturas através de tecnologias sociais, mas também trazer conhecimentos práticos, feitos por esses produtores. A saída de campo, junto com as aulas teóricas que tivemos, é que nos mantêm firmes, mesmo com tantas dificuldades que encontramos nesses últimos dias”, explica.

Professor da disciplina, Germano Ehlert Pollnow considera que a saída de campo cumpriu com seus objetivos. “Para além de podermos observar na prática os temas apresentados e discutidos em sala de aula sobre uso, manejo e conservação do solo, a visita técnica nos permitiu ter um olhar sistêmico e holístico sobre um agroecossistema de base ecológica, o que é fundamental para a compreensão da Agroecologia como ciência, prática e movimento”, afirma.

Pin It on Pinterest